Hackers pedem resgate milionário à Record TV após invasão do


Desde o último sábado (8), a Record TV tem enfrentado um ataque hacker. Os invasores anônimos estariam com o controle de todo o sistema da emissora, além de sua “intranet” (internet privada), bem como uma série de e-mails sigilosos. Já nesta segunda-feira (10), segundo o Notícias da TV, os hackers pediram um “resgate” de R$ 45 milhões para liberar o canal do bispo Edir Macedo.

De acordo com o portal de notícias, a alta cúpula da Record TV está analisando a possibilidade de pagamento, enquanto a equipe de TI também tenta recuperar algumas áreas do sistema. A empresa quer, o quanto antes, recuperar sua operação mais próxima da normalidade. Outro desejo é o de, eventualmente, conseguir um valor mais barato com os hackers. Contudo, o preço exigido para o resgate é próximo do que foi ofertado à empresa JBS em junho, quando o frigorífico disse ter pago R$ 57,1 milhões para que invasores interrompessem um ataque cibernético de uma semana e liberasse seus computadores.

Continua depois da Publicidade

Até então, os hackers não deram um prazo máximo de resposta para a Record. Além da sede em São Paulo, a invasão nos sistemas também tem atingido as filiais de Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, sem falar da rede Record News. Os jornais ao vivo da emissora tem entrado no ar “na raça”, com um esquema e tecnologias que já não eram usados há muitos anos para editar as reportagens. Com os sistemas fora do ar, o canal teve até de usar discos para colocar “manualmente” as matérias no último “Domingo Espetacular”.

O que está em posse dos hackers?

Para além do ataque hacker sofrido pela Record TV no último sábado (8), que obrigou a emissora a retirar o “Fala Brasil” do ar, a situação agora se mostra ainda pior. Segundo o colunista do UOL, Ricardo Feltrin, os hackers roubaram a “intranet” (internet privada) da emissora e os e-mails sigilosos de todos os funcionários da empresa. Nos bastidores do canal, o clima é de terror, de acordo com o que o jornalista informou numa matéria nesta segunda-feira (10).

O telejornal O telejornal “Fala Brasil” precisou ser interrompido às pressas por conta da invasão hacker (Foto: Reprodução/RecordTV)

Segundo a revista Veja, os criminosos virtuais roubaram diversos dados de funcionários da Record e, também, um mapa de rede com credenciais e informações financeiras da empresa. Ao que parece, todos os conteúdos trocados por e-mail ao longo dos anos estão sob a posse deles, ou seja, nenhum funcionário está com acesso ao sistema interno de mensagens e correios eletrônicos.

Continua depois da Publicidade

O caos estaria instalado nos bastidores da emissora, já que existem incalculáveis e-mails extremamente confidenciais trocados por toda a cúpula da emissora (incluindo bispos da Igreja Universal) nas mãos de anônimos. Negociações com fornecedores e empresas, além de estratégias para a grade de programação de 2023, também estariam com os hackers. Além disso, os funcionários da Record estão impedidos de acessarem os números de audiência dos programas.

Com a bomba jogada no colo da emissora, os jornalísticos e os programas de entretenimento estariam lutando para exibir seus conteúdos ao vivo, já que os editados ou em “estado bruto” estão impossibilitados de ser utilizados. Oficialmente, não há nenhum pronunciamento por parte da emissora até o momento.

Continua depois da Publicidade

Como tudo começou

No sábado (8), o “Fala Brasil”, que normalmente se encerra às 12h, teve que ser interrompido bruscamente às 9h. No lugar do telejornal, a Record TV recorreu à reprise de um episódio da série de sucesso “Todo Mundo Odeia o Chris”, originalmente programada para ser exibida nas manhãs de domingo. Nas redes sociais, vários espectadores que acompanhavam a programação no momento, se assustaram. Confira:

Siga o Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossas notícias!

Source

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *